Profissional explica a diferença entre os dois processos e sua ação na cútis

A brasileira está entre as mulheres mais vaidosas do mundo. Por isso, não abre mão de se sentir bonita. Em sua rotina de cuidados, a manutenção dos pelos corporais está entre as principais, mas, qual a melhor maneira de ficar bonita sem danificar a saúde da pele?

O farmacêutico J L Beltrán, da Intea, explica que a questão é bastante subjetiva, uma vez que cada mulher tem uma preferência, mas quando se trata dos cuidados com a pele, clarear os pelos é menos nocivo do que removê-los por completo. “A depilação é uma agressão para a pele. Prova disso é que, dependendo do método escolhido, a pele fica manchada e há o surgimento da foliculite, popularmente conhecida como pelo encravado”, conta.

Além disso, a remoção dos pelos com cera ou lâmina também remove o manto hidrolíptico da pele, que é a camada de gordura natural que protege a cútis, favorecendo irritações e o ressecamento. “O uso de cremes depilatórios também pode causar alergias e manchas nas peles mais sensíveis, sem contar o cheiro forte”, lembra J L Beltrán.

A opção mais saudável para a cútis é a manutenção dos pelos, que podem ser clareados para ficarem mais charmosos. “O clareamento dos pelos corporais é uma técnica usada por muitas mulheres e que requer pouca manutenção. Pode ser feita em casa a qualquer época do ano”, diz J L Beltrán. A Intea Brasil tem uma loção clareadora de pelos corporais que é formulada com extrato de camomila natural, que protege a pele e clareia os pelos de forma gradativa, dando um efeito natural.

Sem enxágue, o produto tem fácil aplicação, pois vem com spray borrifador, não mancha a pele e tem risco mínimo de alergias e irritações. “A camomila acalma a pele e a loção tem ativos que ajuda a hidrata-la enquanto descolore os fios”, destaca o farmacêutico. Tem dúvidas de qual procedimento é melhor pra você?

Por Redação Intea Brasil

Relacionados